Email:  
Senha:  
   
    Esqueci a senha!
    Cadastre-se
    :: home
  • Nova versão da NF-e a partir de 1º de abril (Versão 2.0)
    Obrigatoriedade de Uso Informamos aos nossos clientes, que a partir de 1º de abril de 2011 será obrigatória a emissão de NF-e na versão 2.0 (Ato COTEPE/ICMS n. 49 de 27/11/2009)É...
    [leia mais]
  • Circular 317 - Junho/2014
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: MEI – Microempreendedor Individual - Contratante deve recolher Contribuição Previdenciária. PEP do ICMS - Vigência...
    [leia mais]
  • Circular 304 - MAIO 2013
      Veja nesta Circular as seguintes matérias: Salário-família - Documentação que deve ser Apresentada pelo Empregado. DIPJ 2013 - Declaração de Informações...
    [leia mais]
  • Circular 324 + Janeiro 2015 +
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: Malha Fina da DCFT - Fiscalização constante da RFB. Distribuição de Lucros. DEC - Consulta Semanal - Desenquadramento por...
    [leia mais]
  • Prorrogado início de vigência do Registrador Eletrônico de Ponto
    Prorrogado o início de vigência do Registrador Eletrônico de Ponto (REP) para alguns segmentos da economia Depois de ouvir representantes de todos os setores da atividade econômica,...
    [leia mais]
  • Circular 364 - maio/18 - NO AR!
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: Programa de Estímulo à Conformidade Tributária no Estado de São Paulo; Programa Especial de Regularização...
    [leia mais]

ANTERIORES

DESTAQUES

Área ICMS e IPI

26.04.2012 07:43 - ICMS - Uniformizada a alíquota nas operações interestaduais com bens e mercadorias importados do exterior.

Resumo
O Senado Federal, por meio da Resolução SF nº 13/2012, fixou em 4% a alíquota do ICMS aplicável nas operações interestaduais com bens e mercadorias importados do exterior, com efeitos a partir de 1º.01.2013.

Essa alíquota será aplicada a bens e mercadorias que, após o seu desembaraço aduaneiro:

a) não tenham sido submetidos a processo de industrialização;
b) ainda que submetidos a qualquer processo de transformação, beneficiamento, montagem, acondicionamento, reacondicionamento, renovação ou recondicionamento, resultem em mercadorias ou bens com conteúdo de importação superior a 40%.

O conteúdo de importação é o percentual relativo ao quociente entre o valor da parcela importada do exterior e o valor total da operação de saída interestadual da mercadoria ou do bem.
As regras sobre o processo de industrialização e de conteúdo de importação não se aplicam:

a) a bens e mercadorias importados do exterior que não tenham similar nacional, a serem definidos em lista a ser editada pelo Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex);
b) aos bens produzidos em conformidade com os processos produtivos básicos de que tratam o Decreto-lei nº 288/1967 e as Leis nºs 8.248 e 8.387/1991, 10.176/2001 e 11.484/2007.

A Resolução em referência também não se aplica às operações que destinem gás natural importado do exterior a outros Estados.


(Resolução SF nº 13/2012 - DOU 1 de 26.04.2012)

Fonte: Editorial IOB

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


© 1989 - 2018 ASCON - Assessoria Contábil • Todos os direitos reservados • Política de Privacidade • Desenvolvido por: Gilvan TFS / Eric Costa