Email:  
Senha:  
   
    Esqueci a senha!
    Cadastre-se
    :: home
  • SISCOSERV - Serviços de Transporte de Cargas
      SOLUÇÃO DE RESPOSTA COSIT Nº 257/14 1) Prestador de serviço de transporte de carga é alguém que se obriga com quem quer enviar coisas (tomador...
    [leia mais]
  • Circular 332 - SETEMBRO / 2015
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: EFD – ICMS/IPI - BLOCO K - Livro de Registro de Controle de Produção e do Es-toque. Trabalho Doméstico – NOVAS REGRAS...
    [leia mais]
  • Livro de Controle de Produção deverá ser DIGITAL!
    A partir de janeiro de 2015, os estabelecimentos industriais e os atacadistas deverão informar seus estoques e produção por meio de arquivos digital ao Sped Fiscal.  Com...
    [leia mais]
  • Circular 331 - AGOSTO - 2015
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: Destaque de Tributos na Nota Fiscal. Sujeito a penalidades a partir de 01/01/2015. Comprovação de Renda. Emissão de DECORE. Fiscalização...
    [leia mais]
  • Circular 284 - Agosto / 2011
    Veja na Circular 284 as seguintes matérias:     •    Atraso Injustificado. Impossibilidade de vedação do empregado trabalhar.   ...
    [leia mais]
  • Circular 327 - Abril/2015
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: Declaração IRPF/2015 - 3º Aviso! Tabela Progressiva de IRPF. Vigência no Ano-Calendário de 2015. ECF / CF-E-SAT –...
    [leia mais]

ANTERIORES

DESTAQUES

Governos estaduais aumentam burocracia para empresas em 2016

Presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, comenta as mudanças anunciadas pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz)

31/12/15 às 10:20 - Por: Redação Charles Damasceno

 

Presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos

Brasília - Em um momento em que cada vez mais os pequenos negócios precisam de incentivos para continuar a apresentar os resultados positivos de geração de emprego e renda observados nos últimos anos, medidas que vão entrar em vigor a partir de 1o de janeiro de 2016 aumentarão a já massacrante carga burocrática imposta às empresas brasileiras.

As novas exigências são do Convênio 93 do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), baseadas na emenda constitucional 87, que determina que empresas, ao fazerem compras e vendas de mercadorias para outros estados, passem a ser responsabilizadas pelo pagamento e controles fiscais da diferença das alíquotas estabelecidas por cada ente. Além disso, para negociar mercadorias, pode ser exigido da empresa que ela seja cadastrada no fisco do estado a que sua mercadoria se destina.

Outro ponto que deverá complicar a vida dos empresários é a necessidade de mudanças no layout das notas fiscais eletrônicas, com curto prazo de adaptação por parte das empresas: apenas dois meses.

Para o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, as medidas vão na contramão de tudo que tem sido feito para reduzir a grande carga burocrática imposta aos empresários. “Mais uma vez, os fiscos estaduais delegam suas funções ao contribuinte. Temos feito um grande esforço para que as empresas se livrem da má burocracia, como essas, que acabam criando mais dificuldade para a vida dos empresários”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

© 1989 - 2018 ASCON - Assessoria Contábil • Todos os direitos reservados • Política de Privacidade • Desenvolvido por: Gilvan TFS / Eric Costa