Email:  
Senha:  
   
    Esqueci a senha!
    Cadastre-se
    :: home Terça-feira, 24 de Abril de 2018
  • Transmissão de SEFIP a partir de 1º de Janeiro de 2012
    A partir de 1º de Janeiro de 2012 não mais será possível a transmissão de SEFIP sem a utilização do certificado digital. Se ainda não tem, providencie...
    [leia mais]
  • Ponto eletrônico - Prorrogação para Março/2011
    As empresas que realizam o controle de ponto de seus empregados por meio eletrônico estão obrigadas a se adequarem à Portaria MTE 1.510/2009, como já tratado em nossas circulares...
    [leia mais]
  • Circular 356 - SETEMBRO/17 no ar!
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: Reforma Trabalhista; E-Social – Atualização Cadastral; Desoneração da Folha de Pagamento - Mudança adiada...
    [leia mais]
  • Aumento dos limites de enquadramento no regime tributário...
    Postado em 02/01/2017 - Fonte: DCI – SP – Adaptações ASCON Aumento dos limites de enquadramento no regime tributário entra em vigor em 2018 Aumento dos limites de...
    [leia mais]
  • Jucesp registra mais de 2,9 mil empresas em SJ Campos
      GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA   JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO   AVISO DE PAUTA   Jucesp...
    [leia mais]
  • Nova nota fiscal pode reduzir os impostos
      SÃO PAULO - Especialistas estimam que o maior impacto da mudança na nota fiscal, conforme Lei 12.741 de 2012, sancionada pela presidente Dilma Rousseff e publicada na edição...
    [leia mais]

ANTERIORES

DESTAQUES

Brasil perde posições em ranking de competitividade

Relatório do Fórum Econômico Mundial revela queda de duas posições e posiciona País no estágio 2 de desenvolvimento

 

Apesar de todo o ambiente macroeconômico teoricamente favorável aos negócios e depois de o País ter sido destaque no mundo ao passar "bem" pela crise financeira global, o Brasil caiu da 56ª para 58ª posição no ranking global de competitividade 2010/11 divulgado pelo Fórum Econômico Mundial. Com nota de 4,28, o País está atrás de Costa Rica, África do Sul e Índia. A lista é liderada, nesta ordem, por Suíça, Suécia e Cingapura. Os Estados Unidos perderam duas posições e estão em quarto. A Alemanha, por outro lado, ganhou duas e completa as cinco primeiras posições.

De acordo com o relatório, o Brasil registrou avanços macroeconômicos e possui boa avaliação do setor financeiro. Em contrapartida, necessita urgentemente de melhorias em infraestrutura, saúde e educação básica. A escala de mercado tem uma das melhores notas, assim como sofisticação dos negócios. Outra questão bem avaliada foi o momento do ensino superior.

O documento "The global Competitiveness Report 2010-2011" aponta diversos problemas para ser fazer negócios no Brasil. Em ordem de importância, esses são os principais: regulamentação tributária, impostos elevados, infraestrutura inadequada, regulação trabalhista restritiva, burocracia e corrupção.

Dentro do estudo, o Brasil integra a lista de países que estão no segundo estágio de desenvolvimento, ao lado de nações como Bulgária, Argentina, México, Rússia, Turquia e África do Sul. O Chile, por exemplo, já está no grupo de transição de estágio dois para três, junto com Uruguai, Porto Rico, Taiwan e Croácia. No terceiro estágio, estão nações mais ricas e desenvolvidas e outros países bem competitivos e com infraestrutura e instituições avançadas, dentro da avaliação do Fórum, como Nova Zelândia, Cingapura, Coréia do Sul, Grécia e Emirados Árabes Unidos.

 

Fonte: www.financialweb.com.br

© 1989 - 2018 ASCON - Assessoria Contábil • Todos os direitos reservados • Política de Privacidade • Desenvolvido por: Gilvan TFS / Eric Costa