Email:  
Senha:  
   
    Esqueci a senha!
    Cadastre-se
    :: home Sexta-feira, 20 de Abril de 2018
  • Circular 276 - Dezembro / 2010
      Veja nesta circular as seguintes matérias: Calendário de Vencimentos para Competência Novembro/2010 Sites para obtenção de Certidões Negativa de Débitos...
    [leia mais]
  • Circular 272 - Agosto / 2010
    Veja nesta circular as seguintes matérias: Certificados Digitais Rebaixar a função e manter o nível salarial. É legal? STJ mantém novo ponto eletrônico   Faça...
    [leia mais]
  • Circular 345 - OUTUBRO-16
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: Exclusão de Ofício das Empresas - Simples Nacional por Inadimplência; Fim do aplicativo gratuito de Emissão de NF-e; EFD...
    [leia mais]
  • Circular 314 - Março 2014
    Veja nesta Circular as seguintes matérias: Contribuição Sindical dos Empregados - Desconto em Março/2014 ou mês subsequente à admissão do empregado. Prepare-se...
    [leia mais]
  • Receita espera recuperar R$ 600 milhões de empresas do Simples.
    BRASÍLIA - A Receita Federal identificou indícios de irregularidades de quase de R$ 6 bilhões em 29 mil declarações apresentadas pelas empresas optantes do Simples Nacional...
    [leia mais]
  • Aumento dos limites de enquadramento no regime tributário...
    Postado em 02/01/2017 - Fonte: DCI – SP – Adaptações ASCON Aumento dos limites de enquadramento no regime tributário entra em vigor em 2018 Aumento dos limites de...
    [leia mais]

ANTERIORES

DESTAQUES

Câmara aprova mudanças na Lei Geral

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem, 31, o Projeto de Lei Complementar nº 87/2011 (proposta enviada pela presidente Dilma e apensada ao PLP 591/2010), que faz ajustes na Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. O texto foi aprovado por unanimidade (316 votos) e agora segue para votação no Senado Federal.

Entre as principais mudanças está o reajuste em 50% das tabelas de enquadramento das empresas no Simples que valerá a partir de 1º de janeiro de 2012. Os tetos passarão de R$ 36 mil para R$ 60 mil, no caso do empreendedor individual, de R$ 240 mil para R$ 360 às micro empresas e de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões às empresas de pequeno porte.

Outra medida é o parcelamento da dívida tributária para os empreendedores que estão enquadrados no Simples Nacional, o que até agora não era permitido. O prazo de pagamento será de até 60 meses.

Quanto a exclusão de empresas cuja receita bruta ultrapassem os limites estabelecidos, o projeto cria uma transição, já que os valores serão aumentados em 2012. A empresa de pequeno porte que tiver obtido receita bruta total em 2011 entre R$ 2,4 milhões (limite atual) e R$ 3,6 milhões (novo limite) poderá continuar no Simples Nacional no próximo ano.

Exportação - Outro aspecto que está contido no PLP aprovado é o estímulo as exportações das micro e pequenas empresas. O limite máximo para continuar no Simples Nacional (R$ 3,6 milhões ao ano) será aplicado para as receitas de venda no Brasil e adicionalmente para as vendas ao exterior. A vigência será também a partir de 1º de janeiro de 2012.

Para o presidente da Fenacon, Valdir Pietrobon, apesar de não contemplar a inclusão de novas atividades e a questão da substituição tributária, a aprovação do projeto representa um significativo avanço para facilitar o desenvolvimento das micro e pequenas empresas. “Não foram contemplados todos os pontos que defendemos desde o início da discussão. Mas vejo como muito positiva a vontade dos parlamentares e até mesmo da presidente Dilma em aprovar um projeto que só beneficia o País”, disse.

FONTE – FENACON
01-09-2011

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

© 1989 - 2018 ASCON - Assessoria Contábil • Todos os direitos reservados • Política de Privacidade • Desenvolvido por: Gilvan TFS / Eric Costa